quarta-feira, 6 de março de 2013

FUI NO CEMITÉRIO

-->



Parlendas:

Fui no cemitério
tério, tério, tério

Era meia-noite
noite, noite, noite

Tinha uma caveira 
veira, veira, veira

 Ela era bonita
 nita, nita, nita



Parlendas são versinhos com temas infantis, recitadas em brincadeiras de crianças. Tem rima fácil e, por isso, são muito populares. Elas podem ser utilizadas com as crianças, pois além de divertir ao mesmo tempo melhora a linguagem oral, a memorização de números, cores, letras e palavras.
Muitas parlendas são antigas e, algumas foram criadas, há décadas. Elas fazem parte do folclore brasileiro, pois representam uma importante tradição cultural do nosso povo.
Aqui temos algumas que podem ser declamadas com as crianças que terão prazer em conhecer um pouco mais do nosso folclore.



Cadê o toucinho que estava aqui?
O gato comeu.
Cadê o gato?
Fugiu pro mato.
Cadê o mato?
O fogo queimou.
Cadê o fogo?
A água apagou.
Cadê a água?
O boi bebeu.
Cadê o boi?
Está amassando o trigo.
Cadê o trigo?
A galinha espalhou.
Cadê a galinha?
Está botando ovo.
Cadê o ovo?
Quebrou!




A do te cá

Le pe ti
Le to má
Nescafé, com chocolá
A do te cá

Puxa o rabo do tatu
Quem saiu
Foi tu.



Lá na rua 24
A mulher matou um gato
Com a sola do sapato
O sapato estremeceu
A mulher morreu
O culpado não fui eu.



Era uma bruxa
À meia-noite
Em um castelo mal-assombrado
Com uma faca na mão
Passando manteiga no pão.



O macaco foi à feira
Não teve o que comprar
Comprou uma cadeira
Pra comadre se sentar
A comadre se sentou
A cadeira esborrachou
Coitada da comadre
Foi parar no corredor.





Corre cotia
Na casa da tia
Corre cipó
Na casa da avó
Lencinho na mão
Caiu  no chão
Moça bonita
Do meu coração
Um, dois, três.



Quem é
É o padeiro
O que quer?
Dinheiro.
Pode entrar
Que eu vou buscar
O seu dinheiro
Lá debaixo do travesseiro.



Um, dois, feijão com arroz
Três, quatro, feijão no prato
Cinco, seis, molho inglês
Sete, oito, comer biscoitos
Nove, dez, comer pastéis.


Hoje é domingo
Pé de cachimbo
Cachimbo é de ouro
Bate no touro
Touro é valente
Bate na gente
A gente é fraco
Cai no buraco
Buraco é fundo
Acabou-se o mundo.
   


 Cadê o toucinho que estava aqui?
 O gato comeu.
 Cadê o gato?
 Fugiu pro mato.
 Cadê o mato?
 O fogo queimou.
 Cadê o fogo?
  A água apagou.
 Cadê a água?
  O boi bebeu.
  Cadê o boi?
  Está amassando trigo.
 Cadê o trigo?
 A galinha espalhou.
 Cadê a galinha?
 Está botando ovo.
 Cadê o ovo?
 Quebrou!




Salada, saladinha
Bem temperadinha
Com sal, pimenta
Um, dois, três.




Agá, agá
A galinha quer botar
Ijê, ijê
Minha mãe me deu uma surra
Fui parar no Tietê
Alô, alô
O galo já cantou
Amarelo, amarelo
Fui parar no cemitério
Roxo, roxo
Fui parar dentro do cocho.


Lá em cima do piano
Tinha um copo de veneno
Quem bebeu, morreu

O azar foi seu.

Um comentário:

  1. bem legal vou mostrar para a minha sobrinha Julia valeu um bj.

    ResponderExcluir